Veja preços de medicamentos e compre online! Pagina Inicial Quem somos Notícias e novidades Doenças e tratamentos Entenda sobre Fale conosco
Verruga genital (DST)

Nomes alternativos:
condiloma, condiloma acuminado, vírus do papiloma humano (HPV), verrugas penianas, verrugas venéreas

Definição:
Doença viral da pele caracterizada pelo crescimento de um tumor mole, semelhante a uma verruga, nos genitais. Nos adultos, o distúrbio é considerado uma doença sexualmente transmissível mas, nas crianças, o vírus parece ser transmitido com ou sem o contato sexual.

Causas, incidência e fatores de risco:
As verrugas genitais são provocadas pelo vírus do papiloma humano (HPV). Os vírus do papiloma provocam pequenos tumores (verrugas) na pele e nas membranas mucosas. A infecção das regiões genital e anal com o HPV pode provocar verrugas (condiloma anogenital) no pênis, na vulva, na uretra, na vagina, no colo uterino e em volta do ânus (perianal).

Mais de 50 tipos diferentes de HPV foram classificados. Esses tipos são numerados. Vários tipos, incluindo o 6 e o 11, estão associados a verrugas genitais elevadas, ásperas e facilmente visíveis (especialmente nas mulheres). Outros tipos estão associados a verrugas chatas. Mais importante ainda, vários tipos estão associados a alterações pré-malignas e malignas do colo uterino (exame de Papanicolaou anormal). Esses tipos incluem os tipos 16, 18, 31, 39, 45, 51 e 52. Pesquisas também mostram que a presença do vírus HPV e do vírus do herpes juntos é um bom indicador de câncer cervical.

As lesões na genitália externa são facilmente reconhecidas. No pênis, as verrugas genitais tendem a ser mais secas e mais limitadas que na genitália feminina ou que em volta do ânus dos dois sexos. Elas crescem mais na área mais úmida da genitália. São tumores elevados, ásperos, de cor-de-carne e de aparência "averrugada", que podem ocorrer sozinhos ou em grupo. Se não tratadas, as verrugas em volta do ânus e da vulva podem aumentar rapidamente, ficando com uma aparência de "couve-flor". Manter a área infectada seca pode ser um problema, pois as verrugas geralmente são úmidas.

Nas mulheres, o HPV pode invadir a vagina e o colo uterino por meio de verrugas chatas e não facilmente visíveis sem procedimentos especiais. Devido à possibilidade do HPV levar a alterações pré-malignas no colo uterino (displasia cervical), é importante que essa condição seja diagnosticada e tratada. Exames de Papanicolaou regulares são importantes para a detecção do HPV.

A infecção com o HPV é muito comum, embora a maioria das pessoas não apresente sintomas (assintomáticos). Em vários estudos feitos com mulheres universitárias, quase metade foi positiva para o HPV, embora apenas 1% a 2% tivessem verrugas visíveis e menos de 10% tivessem tido qualquer verruga genital visível. A incidência das verrugas genitais parece estar aumentando rapidamente, embora isso possa ser resultado de uma habilidade aumentada de diagnóstico e de um maior conhecimento.

Os fatores de risco para as verrugas genitais incluem vários parceiros sexuais, parceiros desconhecidos, ausência do uso de preservativos e início precoce da atividade sexual. Nas crianças, embora o vírus possa ser transmitido de forma não sexual, a presença de condilomas acuminados deve levantar suspeitas de abuso sexual.


Sintomas:

- Tumores elevados de aparência "averrugada" nos genitais
- lesões elevadas, de cor-de-carne 
- lesões genitais
   * ferimentos genitais (femininos)
   * ferimentos genitais (masculinos)
   * verrugas anais

- tumores com aparência de "couve-flor" em volta do ânus ou da genitália feminina

- umidade aumentada na área dos tumores

- prurido do pênis, escroto, área anal ou prurido vulvar

- secreção vaginal aumentada

- sangramento vaginal anormal (não associado a períodos menstruais) após a relação sexual (pós-coital)

Obs.: Geralmente não há sintomas.

Sinais e exames:
Um exame genital revela lesões isoladas ou em grupo, elevadas ou chatas, com cor variando entre cor-de-carne e esbranquiçada, em qualquer lugar da genitália externa. Nas mulheres, um exame ginecológico pode revelar tumores nas paredes vaginais ou do colo uterino. A ampliação (colposcopia) pode ser utilizada para ver lesões invisíveis ao olho nu. O tecido da vagina e do colo uterino pode ser tratado com ácido acético, para tornar as verrugas visíveis.

Exames adicionais para as mulheres:
O exame de Papanicolaou pode mostrar alterações associadas ao HPV. Uma colposcopia pode ser realizada para ver as lesões genitais internas ou externas que são invisíveis ao olho nu.

Tratamento:
Os tratamentos tópicos para erradicar as lesões incluem o ácido tricloroacético, podófilo e nitrogênio líquido.

Os tratamentos cirúrgicos incluem a criocirurgia, eletrocauterização, terapia a laser ou excisão cirúrgica.

Os parceiros sexuais precisam ser examinados por um médico e tratados se forem observadas verrugas. Deve-se praticar a abstinência ou o uso de preservativos, até que os dois parceiros estejam livres da doença.

Um exame de acompanhamento deve ser feito pelo médico em intervalos de algumas semanas após o tratamento inicial e, em seguida, o auto-exame pode ser iniciado, com o paciente retornando ao médico se as verrugas reaparecerem.

Mulheres com um histórico de verrugas genitais e mulheres parceiras de homens com um histórico de verrugas genitais devem fazer o exame de Papanicolaou pelo menos a cada 6 meses (as mulheres afetadas podem ser aconselhadas a fazer esse exame a cada 3 meses após o tratamento inicial das verrugas cervicais).

Expectativas (prognóstico):
Com a identificação e o tratamento adequados, os surtos de HPV geralmente podem ser controlados. As lesões costumam reaparecer após o tratamento.

Complicações:
Pelo menos 60 tipos de vírus do papiloma humano foram identificados, vários dos quais foram associados com câncer cervical e vulvar. As lesões podem tornar-se numerosas e relativamente grandes, necessitando de um tratamento mais extenso e procedimentos de acompanhamento.

Solicitação de assistência médica:
Marque uma consulta com seu médico se descobrir que um parceiro sexual apresenta verrugas genitais ou se qualquer dos sintomas descritos for percebido. Adolescentes parecem ser extremamente suscetíveis ao HPV, e aqueles que têm relação sexual com pouca idade devem ser avaliados para se detectar uma possível infecção por HPV.

Prevenção:
Como ocorre com todas as doenças sexualmente transmissíveis, a abstinência total permanece a única maneira 100% segura de se evitar as verrugas venéreas. Um relacionamento sexual monogâmico com um parceiro saudável (livre de doenças) conhecido é a maneira mais prática de se evitar as doenças sexualmente transmissíveis.

Os preservativos são eficazes na prevenção da infecção com o HPV e, quando usados correta e consistentemente, oferecem uma boa proteção não só contra o HPV, mas também contra outras doenças sexualmente transmissíveis. Veja práticas sexuais seguras.


Fonte: http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/index.htm

As informações contidas neste documento não devem ser utilizadas para fins de diagnóstico ou tratamento de quaisquer doenças ou problemas de saúde. Para o diagnóstico e tratamento de todo e qualquer problema de saúde deve-se consultar sempre um médico qualificado.



12 curiosidades sobre Pedras nos Rins    
A berinjela ajuda a reduzir o colesterol - verdade ou mentira?    
A cura da AIDS    
Alerta sobre o H P V    
Alimentação saudável contra Cäncer    
ANEMIA (deficiência de ferro)    
ANEMIA FALCIFORME    
AVC, Derrame cerebral.    
Câncer    
Câncer colorretal    
Câncer de bexiga: relação com o tabagismo    
Cancer de Prostata    
Cancer ocular ou Retinoblastoma    
Causa Primária do Câncer, como ter vida saudável diminuindo acidez do organismo    
Causas da impotência sexual    
Células tronco pode reverter cegueira    
Chá para impotência sexual    
Colesterol alto    
Conjugados de Anticorpo-medicamento – armas seletivas e precisas contra o câncer    
Coqueluche. Sintomas e tratamento    
Corrimento vaginal: Como evitar    
Couro cabeludo: Caspas e seborréia    
Culinária para impotência sexual    
Cura do câncer da laringe    
Cura do câncer da vagina    
Cura do câncer de bexiga    
Cura do câncer de boca    
Cura do câncer de esôfago    
Cura do câncer de estômago    
Cura do câncer de mama    
Cura do câncer de pele    
Cura do câncer do reto    
Cura do câncer do útero    
Cura do câncer dos olhos    
Deixando de Fumar sem Mistério    
Diverticulite (inflamacao intestino)    
Dor de cabeça não é mera desculpa    
Dor na coluna, lombalgia, contusões, torcicolo    
Em breve vacina contra febre reumática    
Estresse e compulsão alimentar    
Exercício para impotência sexual    
FDA aprova tratamento para a esclerose múltipla da Biogen Idec    
Fibromialgia    
Garrafada de Plantas Medicinais    
Gripe A H1N1    
Hepatite, formas de contagio e prevenção.    
Hipertensão Arterial    
Impotência sexual feminina    
Lúpus    
Manchas escuras e irritações na virilha, axilas e coxas    
NOVAS TERAPIAS PARA O MAL DE PARKINSON    
O que é Diabetes, prevenção e controle    
O Segredo de Como Acabar Com Celulite e Estrias    
Obesidade    
Prolapso da Válvula Mitral    
PSORÍASE - Combate ao preconceito    
Remédio caseiro para impotência sexual    
Saiba Tudo Sobre as Unhas Encravadas    
Saiba tudo sobre Infertilidade    
Sintomas de impotência sexual    
Sintomas e sinais da leucemia em crianças    
Sonho: Desejo de engravidar    
Tratamento Para Pedra Na Vesícula    
Tratamento para transtornos mentais    
Tuberculose. Causa, sintomas e tratamento    
Verruga genital (DST)    

Desenvolvimento: qualitÉ! Tecnologia
Bulas, Princípio ativo, Indicações Terapêuticas, Fotos, Notícias, Doenças e Tratamentos, Espaço Acadêmico.
Pesquise Medicamentos - ® 2009. Todos os direitos reservados.   Administração  Webmail
PÁGINA PRINCIPAL | QUEM SOMOS | NOTÍCIAS | DOENÇAS E TRATAMENTOS | ENTENDA SOBRE | CONTATO
contato@pesquisemedicamentos.com.br