Veja preços de medicamentos e compre online! Pagina Inicial Quem somos Notícias e novidades Doenças e tratamentos Entenda sobre Fale conosco
Para uma vida mais saudável

Atividade física regular, manutenção do peso e uma boa alimentação contribuem para reduzir a pressão arterial.

Nem todos podem encher o peito e dizer: “Sou 12 por 8”, uma referência aos 120 por 80 milímetros de mercúrio considerados ideais para a pressão arterial. Pelo contrário; 30 em cada 100 brasileiros adultos têm pressão alta e 50% sequer têm conhecimento dessa condição. E trata-se de uma doença crônica. A hipertensão está diretamente ligada às duas principais causas de morte no Brasil: é o principal fator de risco para o acidente vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame, além de contribuir para o infarto e a insuficiência do coração. 

Pensando nos hipertensos, que devem ser 50% da população até 2020, o cardiologista e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Luiz Bortolotto acaba de lançar o livro Viver bem com hipertensão pelo selo Emagrece Brasil, da Editora Abril. À frente da Unidade de Hipertensão do Incor e como diretor científico do Departamento de Hipertensão da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Bortolotto já participou e organizou várias campanhas públicas de divulgação da doença, que acredita poder ser melhorada com a educação da população. 

“Há algum tempo tenho a ideia de um livro voltado para leigos com orientações sobre a hipertensão arterial. Tínhamos livros para diabetes, câncer, síndrome da imunodeficiência adquirida (Sida), mas não para a doença mais frequente na nossa população. A hipertensão é assintomática na maioria das pessoas e a principal causa direta ou indireta de morte em nosso país. Daí a importância de orientar as pessoas de como lidar da melhor forma com a doença”, alerta.

Segundo o especialista, quanto mais precoce o diagnóstico, mais chances de evitar as complicações. Na juventude, principalmente, há uma relação direta entre hipertensão e a obesidade e o sedentarismo. O incentivo, desde cedo, a hábitos saudáveis de vida, como alimentação com pouco sal e caloria e atividade física regular, pode prevenir e até reverter a doença. Em adultos, o diagnóstico revela mais risco de complicações, mas se controlada com auxilio médico, hábitos saudáveis e medicamentos, a chance de ocorrência de complicações diminui muito.

E então, doutor? Dá para viver bem com hipertensão? Sim, desde que os pacientes sigam as recomendações de forma adequada. É importante consultar um médico de duas a três vezes por ano e ingerir pouco sal – 5 gramas por dia é o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A atividade física deve ser regular. Bortolotto sugere 30 minutos diários, cinco vezes por semana, além da manutenção do peso, baixo consumo de álcool, diminuição do estresse e uso correto da medicação. “Isso deixa o paciente hipertenso com uma vida bem normal.”

O livro traz uma seleção de ajustes nos hábitos capaz de baixar a pressão, o cardápio perfeito, as atitudes inteligentes para escapar do excesso de sal no dia a dia, conselhos para flagrar e domar o problema em diversas fases da vida. Uma mudança de hábito (ver quadro) pode ser definidora. Um hipertenso com 160mmHg de pressão máxima (sistólica) que cumprir uma série de condutas terá, no mínimo, a redução de 21mmHG. Isso significa que sua pressão máxima cairá para 139 mmHg. Em um quadro mais otimista, nem precisará mais tomar remédios. 

MAIOR CONSCIENTIZAÇÃO O potencial de redução da pressão por meio da adoção de hábitos saudáveis tem efeito superior ao de muitos medicamentos anti-hipertensivos. Para Bortolotto, é por isso que uma das melhores maneiras de melhorar o controle da pressão é a educação dos pacientes e também dos médicos, que tratam a maioria deles na assistência básica de saúde, sobre os melhores hábitos de vida, a melhor medicação para cada paciente e a melhor forma de acompanhamento. 

Atualmente, para facilitar a adesão ao tratamento, buscam-se formulações com dois ou mais tipos de medicamentos em um mesmo comprimido, permitindo assim um melhor controle. O avanço da medicina pode ajudar o controle da doença no futuro. “Um tratamento ideal seria aquele que permitisse uma aplicação semanal ou mensal, ou mesmo anual, sem que houvesse necessidade do uso diário da medicação. Isso pode ser possível com o aperfeiçoamento dos estudos genéticos”, acredita o especialista.

Enquanto a tendência é de aumento dos casos, Bortolotto acredita que esforços educacionais das sociedades médicas e mesmo do governo podem conseguir um melhor controle e conscientização da população. Políticas públicas que incentivem aferições regulares de pressão arterial em postos de saúde ou por agentes de saúde e campanhas educativas para a adoção de hábitos saudáveis de vida, incluindo dieta com menos sal, atividade física, também são essenciais. “De certa forma, o livro pode ser uma semente nessa caminhada.”


Fonte: ESTADO DE MINAS – MG 



10 perguntas e respostas sobre pílulas anticoncepcionais    
4BIO - Medicamentos Especiais    
Alimentação para evitar o Câncer de Próstata    
As maravilhas do mel    
Asma: esclareça dúvidas sobre medicamentos que tratam a doença    
BG Brasil Gate - rare medicines    
Clonagem, clone, engenharia genética humana    
Como tratar manchas na pele    
Como vencer o medo de ficar doente    
Dermacosmeticos e Perfumes Importados    
Dermo Manipulações    
Diabetes. Preciso tomar remédios?    
Dicionário Médico    
Disposição versus cansaço    
Duvidas das farmacias e drogarias sobre o Farmacia Popular    
Duvidas frequentes dos pacientes, farmácias e drogarias    
Estatinas contra o Colesterol    
Farinha de Maracujá Para que Seve e Seus Benefícios    
Gastrite ou úlcera    
GRANDES DOSES DE VITAMINA B PODEM ATRASAR OU DETER O ALZHEIMER, DIZ ESTUDO    
Homeopatia X Alopatia    
Hormônio do Crescimento ou GH (Growth Hormone)    
Intendis do Brasil - Farmacêutica dedicada a Dermatologia    
Lancôme é a marca mais desejada entre consumidores de cosméticos de luxo no Brasil    
Link remedios    
Lista de fraldas geriatricas do programa Farmacia Popular    
Lista de medicamentos do programa AQUI TEM FARMÁCIA POPULAR    
Lista oficial de medicamentos do Farmácia popular: Patologia, principio ativo e codigo de barras    
Lista oficial de medicamentos gratuitos contra diabetes e hipertensao pelo Farmacia Popular    
Medicamento de referência    
Medicamentos genéricos    
Medicamentos gratuitos contra hipertensão e diabetes em todo Brasil    
Medicamentos similares    
Mitos e verdades sobre dieta vegetariana ou vegana    
Mitos e verdades sobre queda de cabelos    
Modulação Hormonal Esportiva    
Musculação    
Nutrição: Maçã vermelha por dentro, redlove    
O dano dos anabolizantes    
O óleo de Cártamo auxiliando no controle da obesidade    
O poder da linhaça    
O poder do AMARANTO    
Onde encontrar Farmácia Popular?    
Os 20 alimentos para evitar o envelhecimento    
OS RISCOS DA FALTA DE VITAMINA D    
Os termos mais pesquisados no Brasil em 2014 segundo Google    
OXI: Droga mais perigosa que o crack    
Para uma vida mais saudável    
Pesquisas mostram que gordura saturada não faz mal à saúde    
Pilula do dia seguinte    
Principais laboratorios    
Problemas de ereção    
Saude e Sexualidade: Pompoarismo    
Sexo oral dá sensação de poder a mulher    
Sono, alimentação, água e exercício: a influência dos hábitos de vida na pele    
Suco de maracujá com cenoura    
Terapia de Equilíbrio com Hormônio Bioidêntico    
Terçol, espinhas nas pálpebras    
Todas dicas para identificar remédios falsos    
Tudo sobre Força Muscular e Saude do corpo    
Tudo sobre prisão de ventre    
Viagra x Cialis x Levitra - Comparativo medic. para impotencia    
Vida saudavel com suco verde    

Desenvolvimento: qualitÉ! Tecnologia
Bulas, Princípio ativo, Indicações Terapêuticas, Fotos, Notícias, Doenças e Tratamentos, Espaço Acadêmico.
Pesquise Medicamentos - ® 2009. Todos os direitos reservados.   Administração  Webmail
PÁGINA PRINCIPAL | QUEM SOMOS | NOTÍCIAS | DOENÇAS E TRATAMENTOS | ENTENDA SOBRE | CONTATO
contato@pesquisemedicamentos.com.br